Por assédio e bebida, argentino e colombianos são expulsos da Copa

Os escândalos com torcedores que aproveitam sua presença na Copa para gravar vídeos assediando mulheres russas não são exclusivos do Brasil. Por casos de assédio e também por desrespeitar as regras da organização, um argentino e dois colombianos foram expulsos do Mundial.

O governo do presidente Mauricio Macri confirmou nesta quinta-feira que o argentino Néstor Fernando Penovi, de 47 anos, não poderá mais entrar em estádios onde sejam realizados jogos do mundial. Nos últimos dias, viralizou nas redes um vídeo gravado por Néstor no qual ele aparece ao lado de uma menina russa de apenas 15 anos, a quem pede que diga expressões machistas e de péssimo gosto.

De acordo com o diretor de Segurança em Espetáculos de Futebol do Ministério de Segurança argentino, Guillermo Madero, “pedimos que esta pessoa desonesta fosse imediatamente expulsa”.

– Nos envergonha, como argentinos, ver uma coisa assim. Outros milhares estão tendo um comportamento exemplar – declarou o funcionário do governo Macri.

Segundo ele, o chefe à frente do Centro de Cooperação policial russo confirmou que a medida foi adotada, diz o Extra.

-A verdade é que não existem adjetivos suficientes (para definir o comportamento do torcedor expulso) – lamentou Madero.

No vídeo, o argentino faz a garota russa dizer “olá argentinos, venham para cá. Quero chupar pau”. E encerra chamando a garota de “linda”.

Na Rússia, a embaixada argentina divulgou uma nota na qual afirmou que “a tolerância, o respeito e a educação são valores universais e, portanto, rechaçamos a utilização de diferenças idiomáticas para faltar ao respeito de nossos anfitriões”.

O agressor, que é dono de uma concessionária de carros no bairro de Wilde, província de Buenos Aires, ainda não se pronunciou sobre o escândalo que veio à tona horas antes de a seleção argentina jogar sua segunda partida na Copa, contra a Croácia.

Outro caso similar foi o do colombiano Guillermo Cárdenas, que gravou um vídeo assediando uma torcedora japonesa. Na filmagem, ele pede para a torcedora do Japão repetir insultos em espanhol. Ao colombiano “El Tiempo”, o representante do país na segurança da Copa disse que já há um acordo para que Guillermo seja expulso do Mundial e perca sua “Fan ID”, que dá acesso aos jogos.

“É uma situação muito delicada e agora temos que esperar a resposta das autoridades russas”, disse Saavedra.

Além de Guillermo Cárdenas, o colombiano Luís Felipe Gómez também não poderá mais entrar nos estádios da Copa do Mundo. Ele foi flagrado burlando a segurança para ingressar nas arenas com bebida escondida em binóculos. Se não bastasse a exclusão, o torcedor ainda pode ter que pagar uma multa de quase 10 mil rublos (6 mil reais). O major Saavedra destacou que o comportamento em geral dos colombianos tem sido bom.

“A recomendação feita é de que venham aproveitar o país, a sua cultura e história, assim como os encontros desportivos e acompanhar realmente a seleção”, afirmou.

21/06/2018