Samu registrou em Alagoas mais de três mil acidentes de trânsito em 2016

Dados se referem ao período de janeiro a setembro deste ano.
Mês com maior registro foi agosto com 382 casos.

samu

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) informou neste sábado (12) que, de janeiro a setembro de 2016, foram atendidos 3.159 acidentes na capital e outras 16 cidades.
“Acidentes de trânsito podem envolver um atendimento complexo e as equipes do Samu estão preparadas para realizar essa missão”, destacou o gerente do Samu Maceió, Lucas Casado.

O mês com maior registro de acidentes em 2015 foi janeiro com 464. Já este ano agosto teve 382 casos atendidos pelas equipes.

A Central do Samu de Maceió atende chamados oriundos da primeira macrorregião de Saúde que engloba os municípios de Maceió, União dos Palmares, Viçosa, São Miguel dos Campos, Porto Calvo, Coruripe, Joaquim Gomes, São Luiz do Quitunde, Maragogi, Teotônio Vilela, Rio Largo, Murici, Marechal Deodoro, Barra de Santo Antônio, Colônia de Leopoldina, São Miguel dos Milagres e Atalaia.

“São números expressivos que mostram a atuação dos socorristas do Samu no resgate às vítimas de acidentes. Esses dados representam vidas que foram salvas, e isso é o maior patrimônio da instituição”, revelou Lucas Casado.

O gerente do Samu Maceió destacou, ainda, a atuação dos motossocorristas que têm como função chegar rápido ao local do acidente para estabilizar clinicamente o paciente, além de isolar o local da ocorrência. Dessa forma, garantem a segurança do paciente e da equipe, até a chegada de uma Unidade de Suporte Básico (USB) ou Unidade de Suporte Avançado (USA) para transportá-lo para um hospital mais próximo.

“Além de garantir mais celeridade em situações de emergenciais, às motolâncias auxiliam na segurança do resto da equipe e do paciente fazendo a análise da cena e isolando o local”, explicou o gerente do Samu Maceió.

Lucas Casado reforçou ainda que a segurança dos motosocorristas e de toda a equipe é fundamental. Por isso, todos recebem, além de um rigoroso treinamento, os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para que os riscos da atividade sejam minimizados.

g1

13/11/2016

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *