Tremores voltam a abalar a Nova Zelândia

Tremores voltam a abalar a Nova Zelândia

new-zealand-earthquak620

Fortes tremores voltaram a abalar a Nova Zelândia nesta segunda-feira (14/11), agravando a devastação deixada pelo terremoto que atingiu o país por volta da 00h00 de domingo.

Foram registrados desmoronamentos e tsunamis em decorrência dos abalos sísmicos, cujo prejuízo já é estimado na casa dos bilhões de dólares. Por volta de 13h45 (hora local), o país insular foi atingido por centenas de tremores secundários. Segundo a agência de monitoramento de terremotos GeoNet, o mais forte deles teve uma magnitude de 6,3 na escala Richter e profundidade de 35 quilômetros. Não há registros de novas vítimas até o momento.

O alerta de tsunami, anteriormente suspenso, foi reemitido pouco antes de ondas de cerca de dois metros de altura atingirem a costa. O Ministério da Defesa Civil e Gestão de Emergências também instou os habitantes das áreas baixas a procurarem abrigo em locais mais elevados, além de desaconselhar a ida ao centro da cidade, devido ao risco de desabamento.

Deslizamentos de terra bloquearam a principal rodovia da localidade costeira de Kaikoura, importante ponto de observação de baleias, impedindo a partida de mil turistas. Um navio da Marinha foi enviado ao local para ajudar no resgate, e na terça-feira a Defesa Civil pretende entregar alimentos, água e outros suprimentos.

Casos de assaltos
A polícia neozelandesa registrou 19 assaltos de casas e estabelecimentos comerciais evacuados devido ao terremoto. “É extremamente frustrante que, num momento em que as pessoas enfrentam um acontecimento tão traumático, e as comunidades se unem para se ajudar, outros só estejam interessados em tirar vantagem”, comentou o comandante da polícia de Canterbury, John Price.

Os tremores desta segunda-feira sucedem um terremoto de magnitude 7,8 na escala Richter que abalou a costa leste da Nova Zelândia e forçou milhares a passarem a noite fora de casa. Pelo menos duas pessoas morreram e várias ficaram feridas. O epicentro do abalo situou-se a cerca de 90 quilômetros de Christchurch, maior cidade da Ilha Sul da Nova Zelândia.

Em 2011, um tremor de magnitude 6,3 e epicentro a apenas 10 quilômetros de distância causou 185 mortes em Christchurch. A Nova Zelândia se encontra no chamado “Anel de Fogo”, um arco de 40 mil quilômetros de vulcões e fossas oceânicas, que em parte circunda o Oceano Pacífico, onde ocorrem cerca de 90% dos terremotos do mundo.

14/11/2016

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *